sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

VIVÊNCIA: SILAS, O SILENI

EMBORA NOSSA CONVIVÊNCIA COM HUMANOS SEJA MAIS FÁCIL DO PONTO DE VISTA MERAMENTE FÍSICO/ESPACIAL, A ESTRANHEZA É SIMILAR À QUE OS CENTAUROS PROVOCAM. ATÉ JÁ ME DISSERAM QUE OS SILENIS ERAM MAIS ESTRANHOS, JÁ QUE PARECIA FALTAR ALGO EM NOSSA FIGURA DE HOMEM-CAVALO COM APENAS DUAS PATAS. UMA CERTA ASSIMETRIA E DESEQUILÍBRIO QUE REFLETIA-SE NO NOSSO MODO DE ANDAR...
NO MEU CASO, ENTÃO, ISSO ERA MAIS ÓBVIO. COMO UM SILENI COM FORTE HERANÇA EQUINA, TINHA O TORSO HUMANO MONTADO SOBRE AS PATAS TRASEIRAS DE UM GARANHÃO DE PELOS NEGROS E BRILHANTES, COM A GENITÁLIA POSICIONADA BEM ABAIXO DO UMBIGO. A CAUDA, DE FIOS MARRONS, ERA MANTIDA À MEIA ALTURA - ATÉ PORQUE DESEMPENHAVA UM PAPEL CRUCIAL NO MEU EQUILÍBRIO.
ARTISTA CIRCENSE ESPECIALISTA NO JOGO DE FACAS, TINHA TATUAGENS E APLIQUES CIGANOS NO ALTO DOS CASCOS. E RASPAVA AS LATERAIS DA MINHA CABEÇA PEQUENA , EMBORA NÃO TIVESSE AS ORELHAS PONTUDAS COMO ALGUNS SILENIS. OUSADO, USAVA UMA ARGOLA NAS NARINAS. CASADO COM A CONTORCIONISTA, TINHA DOIS FILHOTES QUE PUXARAM , CLARO, AO PAI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário